Caminhonetes Picapes mais emplacadas em Dezembro de 2023

Frontier teve alta, Ranger sofreu queda de vendas e de posição.
Uma análise geral do mercado de caminhonetes médias em 2023 em comparação com a Frontier.

Emplacamentos Vendas de Picapes Caminhonetes em Dezembro de 2023

Os resultados surpreenderam um os sites “especializados” em automobilismo, mas não os leitores do Clube da Nissan Frontier que viram as nossas previsões acontecerem.
O maior problema dos veículos de informação que querem avaliar o mercado de carros é não ter um retrato completo dos resultados, de confundir emplacamento com vendas e de apresentarem pouco afinidade com o mercado de carros.

Em dezembro de 2023 temos um resultado que já era esperado, que havíamos previsto apesar de muitos não acreditarem e publicarem as mais absurdas previsões.

Emplacamentos de caminhonetes / picapes em Dezembro de 2023:

Hilux 4.344
S10 3.133
Ranger 2.451
L200 1.821
Frontier 1.024
Amarok 699

A Toyota Hilux continua em primeiro lugar de emplacamento/vendas, uma posição consolidada mais pelo seu nome no mercado do que pelas suas verdadeiras qualidades, levando-se em conta que continua a ser um modelo ultrapassado em relação à Frontier, e mais insegura e desconfortável também do que o modelo da Nissan. Ela ainda adota a suspensão traseira por feixe de molas, o que a torna mais dura, desconfortável, menos estável e mais insegura do que a Frontier que usa a suspensão multilink.
A Hilux ganhou uma forte popularidade no Brasil, e desafiando a lógica com todas as suas limitações, segue líder no mercado enquanto este não evoluir em sua exigência.
Com seguros elevados, revisões mais caras, elevados índices de roubos e preços mais altos que concorrentes, a Hilux realmente não merecia estar nessa posição.

A Chevrolet S10 segue também com a sua popularidade em segundo lugar. É uma caminhonete também bastante limitada tecnologicamente, mas a preferida pelas empresas pelo baixo custo de manutenção, facilidade de peças e ampla rede de concessionárias. Há previsão de mudanças significativas em um novo modelo a ser lançado, mas não se espera ainda que ela alcance o nível de sua equivalente americana, a Colorado.

A Mitsubishi L200 segue em sua posição mais frequente, que é a quarta colocação, onde se firmou com tranquilidade.
Prestes a mudar, também é um modelo ultrapassado hoje, e deve ganhar inovações com a utilização da plataforma da Nissan Frontier, mas ainda não deve alcançar a Frontier em todas as suas qualidades. Em minha opinião, a Mitsubishi L200 merecia vender mais do que a Hilux e a S10, pois hoje ela já está num nível acimas das líderes de vendas. Mas, como o mercado automobilístico não é muito justo e o consumidor pouco exigente e mal informado, a L200 se mantém numa posição ao meu ver bastante injusta.

A Volkswagen Amarok segue em último lugar em emplacamentos, como havíamos previsto também, inclusive com crescimento negativo no mês com uma queda de 25%. Aliás, ela fecha o ano nessa posição, apesar de uma leve reação nos últimos meses, o que a imprensa “especializada” interpretou erroneamente como uma reação de retorno do modelo às melhores posições de vendas. Infelizmente, os jornalistas que se aventuram em querer interpretar e antecipar os desempenhos de vendas do mercado ignoram tudo ao seu redor, considerando apenas o número “cheio” de emplacamentos do mês como um resultado de vendas e de desempenho do modelo, uma forma bastante equivocada de enxergar o mercado. O incremento de emplacamentos da Amarok se deu muito por substituição de modelos de test drive e de uso da marca, com pouca reação do mercado consumidor de fato, mas muitas acharam que a Amarok havia finalmente “acordado” em suas vendas.
Infelizmente o alto consumo do motor V6 e os problemas mecânicos frequentes do modelo parecem afastar um pouco o consumidor.

A Nissan Frontier cresceu em emplacamentos este mês, como era natural esperar nesse período, mas também pelo possível efeito da garantia de 6 anos oferecida pela fábrica ao modelo. A maior garantia do mercado que demonstra a confiabilidade e a robustez do modelo. Isso obviamente atrai o consumidor, pois aumenta o seu valor de revenda (foi o modelo menos desvalorizado este ano) já que adquirindo uma Frontier hoje, o consumidor poderá vendê-la em 2030 ainda na garantia, o que oferece maior segurança e confiança ao futuro comprador.
A picape mais completa, segura, valorizada e atualizada da categoria ainda não deslanchou em vendas, o que mostra como o mercado é extremamente conservador e pouco informado.
A Frontier continua sendo um modelo de nicho, para um público diferenciado, e deve permanecer assim se não houver uma evolução da cabeça do consumidor.

A Ford Ranger foi talvez a maior surpresa e a maior decepção do mercado, mas não para nós.
Como já havíamos antecipado, dificilmente a Ranger conseguiria desbancar a Hilux do trono, e também dificilmente conseguiria se manter em segundo lugar.
Ela conseguiu a segunda colocação em emplacamentos em Setembro e se manteve ali até Novembro, quando conseguiu um resultado fraco de crescimento em relação às concorrentes de apenas 14%, caindo novamente para o terceiro lugar.
Apesar da empolgação do mercado em achar que e Ranger seria a nova líder de vendas, nós antecipamos que o “efeito novidade” daria um destaque à Ranger, colocando ela numa posição melhor no ranking de emplacamentos mas que não deveria se sustentar até o final do ano. Foi o que ocorreu.
Além disso, justamente por não entender a diferença entre vendas e emplacamento, muitos “especialistas” não se atentam ao fato que o modelo abasteceu as concessionárias, o serviço de aluguel da própria marca e outros consumos próprios, que apesar de “vitaminar artificialmente” o número de emplacamento/vendas, não traz correspondência direta com o número real de vendas ao consumidor, ou o que foi emplacado para o consumidor final. Esse erro é muito comum e ocorre em sites automobilísticos, fóruns, Youtube e outras redes sociais. Além de nossa previsão, eu não vi ninguém mais no mercado antecipar esse retrato, além do comentário que fiz em um fórum.
Além de não ter apresentado nenhuma novidade de peso no modelo, o apelo do motor V6 também não funcionou muito. Se o mercado quisesse motor mais potente (e muito mais gastão como no caso da Ranger), a Amarok seria um sucesso de vendas.
Além disso, inúmeras reclamações do modelo surgiram, inclusive com um grave recall bastante prematuro, e certamente o consumidor ficou mais cauteloso, afinal a marca está com muitas dificuldades em manter as concessionárias abertas e oferecer peças de reposição ao mercado, como pode ser visto no site ReclameAqui, oferecendo ainda o pior pós-vendas do mercado.

Crescimento de Vendas em %:

S10 128
L200 58
Frontier 49
Hilux 15
Ranger 14
Amarok -25

Perceba na tabela acima como a Ranger só ficou atrás da Amarok em queda de crescimento de vendas.

Esse mesmo fenômeno ocorreu na Argentina, onde o modelo, após o lançamento, saiu da 3ª colocação de vendas chegando a atingir o 1º lugar em Agosto, segurando esta posição somente naquele mês, caindo para a 2ª colocação em Setembro, e depois voltando ao seu costumeiro 3º lugar nos meses seguintes e lá se mantendo, com vendas em contínua queda.
É muito difícil acreditar que a marca que fechou as suas fábricas no Brasil criando um elevado desemprego, viu mais da metade de suas concessionárias falirem ou trocarem de marca, que possui um resultado bastante ruim nos demais modelos que importa, que sofre com falta de peças e que ainda fechou a Troller no seu auge de desempenho possa ainda ser a preferência do consumidor mais antenado.
Muitos já adiantam que a atual Ranger V6 tende a se desvalorizar muito no mercado, pelo seu elevado consumo de combustível, pelo histórico de problemas desse motor, e pelas reclamações de que ele não oferece ainda um desempenho à altura. Novidades sempre chamam a atenção do consumidor, mas só o tempo para acomodar o mercado.

Vamos aguardar os próximos capítulos dessa história, que ainda terá a chegada dos modelos chineses e elétricos para agitar o mercado.

Fontes de resultados de vendas: Fenabrave e Jato do Brasil.
Qualquer inconsistência com os números oficiais da Fenabrave será ajustada oportunamente.

Atualização em 03.01.2024

A pedido de um leitor, publicamos uma tabela com as vendas de picapes na Argentina.

Emplacamentos de Caminhonetes Picapes na Argentina em 2023

vendas-argentina-picapes

Fonte: https://parabrisas.perfil.com

Como podemos ver na tabela acima, a Ranger na Argentina experimentou semelhantes efeitos como no Brasil, saindo da 3ª colocação em emplacamentos (patentamientos) e chegando ao 1º lugar em Agosto logo após o seu lançamento, para depois vir caindo e estabilizando de volta na 3ª posição nos dois últimos meses.
Como sempre dissemos, é preciso muito cuidado com o “efeito novidade” que leva colunistas e “especialistas em mercado” a oferecer conclusões equivocadas aos leitores, algo que infelizmente vem acontecendo com muita frequência no Brasil.
O Clube da Nissan Frontier foi o único site a acertar a análise de movimentação de posições de vendas de picapes no Brasil para até o final de dezembro de 2023, mas na Argentina o resultado foi similar ao ocorrido aqui.

Atualização em 05.01.2024

Com a divulgação oficial da Fenabrave em 04.01.2023, o número de vendas da Hilux foi ajustado, o que a colocou num patamar de crescimento quase tão baixo como o da Ranger.
Para os fanboys do modelo, não foi dessa vez que ela ultrapassou as 5.000 unidades.

E, como bem observado pelo nosso amigo e leitor Mauro, mais uma previsão nossa foi confirmada, a de que a Nissan até o final de 2023 ultrapassaria a Honda na posição geral de participação de mercado, e foi o que aconteceu. A Nissan já é a 8ª colocada com 3,13% de participação, com a Honda agora em 9º com 2,78%, deixando para trás marcas de peso como Caoa (11º),  Peugeot (12º), Ford (13º), RAM (14º), Mitsubishi (16º) e Citroen (17º)Parabéns Nissan do Brasil!

Atualização em 16.01.2024

Atualizando as vendas da Ranger na Argentina em dezembro de 2023, onde sofreu nova queda e permanece em penúltimo lugar de vendas na categoria de picapes médias.

emplacamentos-ranger-argentina-2023

O mercado automobilístico argentino sente as dificuldades das mudanças políticas e econômicas do país, mas, proporcionalmente, o resultado de vendas da Ranger continua mostrando uma queda contínua após o seu lançamento, apresentando o maior percentual de queda entre as concorrentes de 42% em relação à novembro.
Hilux teve uma queda de 17%, Amarok 31% e Frontier 39%.

 

14 Comentários

  1. Eduardo eu te acompanho no fórum 4×4 brasil também, e sou fã de suas avaliações sempre muito interessantes. Esta é mais uma que prova a qualidade do seu trabalho.
    Mesmo eu não participando muito já que você participa somente do tópico da Frontier e eu não tenho uma (ainda…:-), admiro os seus comentários sempre de bom senso, e que funciona como um contrapeso às bobagens que muitos dizem naquele fórum.
    Antes era o ‘clube da Capotalux’, agora é o ‘clubinho da Rangetudo’. Os caras parecem doentes lá e te digo que a maioria é tudo perfil fake, porque não é possível que na realidade tem gente que pensa como eles.
    Apareça mais lá, você faz muita falta.

  2. Tenho uma Frontier 2019 com 145.000km com zero problemas. É uma caminhonete robusta, confiável e muito segura como disseram aqui, além de ser a mais confortável do mercado, até mais do que a Amarok. Ela merece sim ser mais reconhecida.
    L200 pra mim vai ser mais do mesmo, nem suspensão multilink deve adotar pelo que andei vendo, se pelo menos não ferver a toa já é alguma coisa.
    Hilux é só nome, é comprar problemas. Boa para o sujeito que está lá no meio do mato e já se acostumou com carroça. S10 é o mesmo caminho pra mim.
    Amarok é uma bomba relógio, nunca sabe quando vai quebrar.
    Ranger é uma piada de mau gosto da Ford. Fiz o teste drive em uma e achei até pior que a anterior, só salva o desempenho um pouco melhor mas quanto tempo vai durar esse motor que tem uma fama nada boa nem aqui nem lá fora.
    Não sabia que na Argentina a Ranger também teve esse desempenho de vendas parecido com aqui, boa informação que eu desconhecia. Você teria os números de lá?
    Vou continuar com a minha Frontier por mais alguns meses e a escolha natural será outra nova ou semi nova. Não sei se compensa comprar uma picape nova com o preço das usadas caindo por conta da alta do diesel e dos problemas do bio.

  3. Muito boa a avaliação. Infelizmente não temos mais jornalistas como antes, e bobagens são espalhadas na internet sem qualquer critério.
    Muito se falou que a nova Ranger até arrancaria a Capotalux da primeira colocação de vendas, mas nem chegou perto e já recuou.
    Além das excelentes observações que o senhor fez sobre o impulsionamento de vendas de um novo modelo (no caso da Ford ainda com um pesado investimento em marketing de rede) é preciso lembrar que o novo modelo ainda conviveu com o modelo antigo encalhado nas lojas por algum tempo, então é preciso muito cuidado ao atribuir o sucesso inicial já que o modelo novo dividia o mercado com fortes promoções do modelo antigo.
    Eu não compro nenhum carro da Ford por melhor que seja, tenho nojo dessa marca hoje depois do desprezo que ela teve com o Brasil.

    • Hilux pode não valer o que cobram e eu até concordo, mas a marca Toyota é muito forte. Se a Frontier ou a Amarok fossem fabricadas pela Toyota seriam as mais vendidas também.
      Ranger é bomba, sempre foi. Essa nova está cheia de problemas e bebendo mais que o 9 dedos. Motor da Ranger é uma encrenca usada pela Land Rover há 18 anos quando a Land pertencia a Ford. Foi ainda usado pela Peugeot e Citroen com algumas modificações. O histórico desse motor na Discovery é péssimo, é aquele motor que rachava o bloco do nada.
      Por isso quando te disserem que a nova Ranger é mais tecnológica e atualizada, lembre-se que só o motor dela já tem quase duas décadas e é uma encrenca.
      A verdade é que a Ford nas últimas duas décadas lá fora só está produzindo encrencas, e aqui há pelo menos 3 décadas. Foi embora tarde.

    • Ventura, a Rampage não pode ser considerada uma caminhonete média sobre chassis.
      Pode ser uma opção para quem busca uma média sim, até concordo com você, mas na minha opinião ela não passa de uma Toro melhorada.

  4. Excelente texto, bem coerente e o autor tem domínio sobre o que escreve. Só tenho lido bobagens ultimamente de sites tradicionais como Quatro Rodas, Notícias Automotivas, Auto Papo, etc.

  5. Hilux é uma piada de mau gosto. Depois de anos a Toyota assume que ela realmente não tem estabilidade e sai fazendo gambiarras para tentar melhorar a sua estabilidade, e pior que só faz isso em versões mais caras, porque as mais baratas continuam perigosas e não estão nem aí com isso.
    Ranger nem deveria mais ser vendida aqui depois que a fábrica deu um tiro no próprio pé desprezando o Brasil, mas tem trouxas pra tudo e acho que conseguir um terceiro lugar já é muito pra ela pelo que oferece. Não trouxe nenhuma novidade importante nesse novo modelo, e ainda vaio com problemas de freios, do conjunto eletrônico e com um motor que já se sabia que era problemático. As reclamações já pipocam no mercado e mostra que a Ranger não só não evoluiu nada como piorou.

  6. Parabéns Eduardo, você acertou mais uma previsão que não mencionou aqui, a de que a Nissan ganharia mais uma posição no ranking regal de vendas ultrapassando a Honda até o final do ano. Vocês observaram que isso também aconteceu? A Nissan foi de 9º para 8º lugar no geral de emplacamentos, deixando Honda, Ford, Mitsubishi, Peugeot, RAM, Citroen etc para trás. Acredito que foi um dos melhores resultados da Nissan aqui.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Blue Captcha Image
Atualizar

*