Amarok com problemas crônicos de pane

A Amarok passou por algumas gerações de motor, mas parece que continua alimentando a fama de caminhonete problemática.
Problema crônico na bomba tem deixado proprietários revoltados.

Que a fama da Amarok nunca foi lá muito boa, isso muita gente sabe. o que lhe concedeu apelidos como “Amargarok”, “Bombarok”, etc…
Mas, parece que sempre surge mais uma novidade para incomodar os seus proprietários.
Conhecida mundialmente pelo escândalo de fraude na medição do controle de poluentes, o que levou a VW a uma situação vergonhosa no mundo inteiro, agora os proprietários do modelo sofrem com um motor que parece não ter sido desenvolvido para mercados como Brasil e Estados Unidos, com um problema crônico na bomba de alta pressão, e parece que o pós-venda tem sido a continuação desse pesadelo.

A reportagem do site UOL levantou a história e publicou uma reportagem completa do problema.
O link completo da reportagem pode ser visto aqui:

Donos de Amarok apontam pane repentina no motor e falta de assistência
https://www.uol.com.br/carros/noticias/redacao/2022/01/18/defeito-na-bomba-de-alta-pressao-da-amarok-causa-prejuizos-de-ate-r-50-mil.htm

Destacamos os seguintes trechos da reportagem, já que não é permitido transcrevê-la totalmente aqui por razão dos direitos autorais:

“…muitos proprietários vêm sofrendo com um problema que consideram crônico: com tempos variados de uso, a bomba de alta pressão (modelo CP4 Bosch) sofre um desgaste que gera limalhas que se espalham e danificam diversas peças do sistema de combustível. Um prejuízo que varia de R$ 15 mil a R$ 50 mil.”

Sobre o problema:

“Essa é uma das certezas de quem possui Amarok. Se não teve, vai ter. Infelizmente!”

E o preço para reparo da destruição causada pelo problema pode chegar a 50 mil reais.

“Já pegamos vários carros com esse defeito, alguns com menos de 20 mil quilômetro rodados.”

“O argumento é que o combustível do Brasil não tem a mesma qualidade do que o de outros países, por isso acaba deteriorando o sistema. Mas acredito que quando uma marca bota um carro no país, ele deve estar preparado para rodar com combustível nacional.”

Inaceitável que a fábrica culpe o combustível brasileiro pelo problema. Ela não sabia das características de nosso combustível quando lançou esse motor?
E porque outros modelos concorrentes de caminhonetes não apresentam o mesmo problema se usam o mesmo combustível?

“Problema identificado nos Estados Unidos.

O problema da bomba CP4 Bosch não é exclusivo da Amarok.

Nos Estados Unidos, a General Motors (que controla como a Chevrolet e a GMC – marca de picapes e SUVs que atua no mercado americano) está respondendo a uma ação coletiva por “construir centenas de milhares de caminhonetes com motores incompatíveis com o diesel produzido nos Estados Unidos”. De acordo com a denúncia, as bombas Bosch CP4 foram projetadas para funcionar com óleo diesel produzido na Europa, que é mais espesso e, portanto, não funciona da mesma forma com o combustível norte-americano.

A Stellantis, proprietária da marca Ram, também sofreu uma ação coletiva e está realizando o recall de mais de 200 mil unidades dos utilitários 2500, 3500, 4500 e 5500.”

Será que teremos um recall por aqui também? Duvidamos !!!

A fama dos problemas da Amarok vem de longa data.

Problemas graves com a Amarok V6
Problemas graves com a Amarok V6
Problemas graves com Amarok V6
Semana passada em Indaiatuba. Mais um poderosa V6 que ficou na rua com problema de filtro saturado sem aviso prévio. É a quarta vez que vai guinchada para a concessionária desde que o dono comprou, por vários motivos além de outros problemas em que não precisou de guincho. O proprietário resumiu assim sua raiva “Uma bosta de caminhonete. Vou vender esse lixo. Melhor andar a pé…”. E o pior é que sempre haverá alguém para comprar…

1 Comentário

  1. A Amarok é um lixo. Pior caminhonete que eu já tive. A V6 custa caro pra arrumar e vai quebrar muito com certeza. Só questão de tempo

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*